quarta-feira, 22 de junho de 2011

O Beijo






Um beijo. É só o que precisa para você se deixar levar. Não importa a força dos olhares, a sensação da mão da pessoa pegando a sua e lhe puxando para longe da confusão; até aí você ainda pode resistir.

Mas é com o beijo que você se rende. E não importa qual tipo de beijo - aquele que lhe pega desprevenido, de surpresa, no meio de uma frase; aquele que vem devagarzinho, que você sabe que pode impedir, mas não o faz; aquele que vem depois de um silêncio mútuo que rapidamente se transforma em uma tensão sexual irresistível.

É sempre o beijo.

Ele vem antes e depois de tudo. Beijos delicados, gentis, apaixonados, molhados, brutos, com mordida, provocantes.

Sempre existe um beijo certo pra cada ocasião. Beijos de "oi", de "tchau". Beijos pra antes, durante e depois do sexo. Sim, são todos diferentes. São todos deliciosos, ao seu próprio jeito.

Existem, também, beijos para cada parte do corpo. O galanteio do beijo na mão; a meiguice do beijo no nariz; o arrepio do beijo no pescoço; o fogo do beijo na boca. Isso sem falar na paixão dos beijos nos lugares escondidos pelas roupas.

Só o Kama Sutra já cita 30 tipos de beijo. E você sabe que um beijo nunca vai ser igual ao outro. Por mais brega que pareça, eu poderia até compará-los com flocos de neve: mágicos e únicos.

Tem selinho, beijo de esquimó e o de borboleta - que é com os cílios. Tem até beijo técnico, onde você só finge que beija, atua. E tem o nosso favorito; beijo francês.

Ah, o beijo francês. Impossível colocar em palavras a verdadeira excitação que se sente ao experimentá-lo. Sempre digo que gosto dos meus beijos com lábios, língua e dentes. Sentir toda a urgência, o tesão, a paixão, o carinho, o amor. O especial é que o beijo francê aproxima as pessoas, consegue conectá-las. Delicioso. Sempre.

Existem beijos que deixam as pessoas completamente loucas. Como os que eu adoro, na orelha - com direito a mordidas e algumas palavras obscenas. Ou aqueles na nuca, com um roçar delicado de lábios. E aqueles apaixonados, na chuva. Mas os mais enlouquecedores são aqueles ao redor dos mamilos; mas sem realmente tocá-los. Ou então aqueles - perigosos - que descem pela barriga e vão acompanhando a linha da sua calça.

Já beijar os pés de uma pessoa mostra o quanto você está submisso a ela. E louco por ela também. Os beijos nas pontas dos dedos (mãos ou pés) são sedutores natos - passar o dedo da outra pessoa pelos seus lábios e depois colocá-lo dentro da boca devagar... Hmm.

O maior mistério para mim, quando eu era criança, era que gosto tinha um beijo. E existem mesmo beijos com gostos característicos, como hortelã. Afinal, tem também quam beija com bala, chiclete - tinha aquela cantada clássica: "Quer um chiclete? Vem pegar então..." e abria a boca mostrando-o com a língua.

Quanto a mim, não consigo dizer qual é o gosto de um beijo. Mas posso dizer que ele tem o poder de fazer com que eu esqueça de todo o resto; de tudo e de todos. Quando alguém me beija, nada mais importa. Só a excitação de sentir seus lábios nos meus.

Tudo o que todo mundo procura é alguém para dar todos os tipos de beijos. Afinal, como as próprias princesas de contos de fadas bem sabiam: beijar a pessoa certa é tudo o que a gente precisa pra viver feliz para sempre.

2 comentários:

  1. oie, td bem...amei o blog, segue de volta? bjos

    ResponderExcluir
  2. muito bom, excelente escrita. parabéns

    ResponderExcluir